Dawn: a caminho de Vesta e Ceres

Conheça Dawn (Amanhecer, em inglês), uma sonda espacial que está mudando tudo que conhecemos sobre viagens espaciais. Esta será a primeira espaçonave a orbitar dois corpos diferentes em uma mesma missão, o que era totalmente impensável há não muito tempo atrás.

Isso será possível graças a seu sistema de propulsão, chamado de propulsão iônica, um sistema totalmente novo e muito eficiente. As espaçonaves convencionais necessitam de muito combustível para manobrar no espaço, mas Dawn é diferente. Utilizando painéis solares, ela capta a energia do Sol e ioniza átomos de xenônio. Esses átomos ionizados são expelidos por fortes campos elétricos pela parte traseira da espaçonave, provocando um leve impulso.  Esse impulso, apesar de fraco, é constante e vai se acumulando, fazendo com que a nave ganhe velocidade continuamente.

Outra diferença em relação às naves convencionais, é que Dawn vai queimar combustível por quase toda a sua missão. Uma taxa de queima muito baixa, porém constante. Uma nave convencional, ao contrário, geralmente queima seu combustível em poucos minutos, e depois vai flutuando pelo espaço com o impulso obtido.

A missão Dawn ganha em importância quando analisamos seus dois alvos: Vesta e Ceres, que orbitam o Sol no Cinturão de Asteróides entre Marte e Júpiter.

Vesta é um asteróide muito parecido com os planetas rochosos do Sistema Solar, enquanto Ceres é mais parecido com as luas geladas dos gigantes gasosos. Vesta tem uma forma mais ou menos elíptica com diâmetro médio em torno de 550km. Ceres tem um diâmetro de 950km. Os dois asteróides são grandes, sendo que Ceres inclusive ganhou a classificação de planeta-anão. Apesar de serem corpos muito interessantes, pouco se sabe de concreto a respeito deles. Dawn promete mudar essa situação por completo.

A previsão de chegada em Vesta é em 2011. Ceres recebe a visita em 2015.

Um detalhe interessante para quem gosta de FC: sabe aquele papo todo que a gente sempre imagina de viajar entre as estrelas, pular de planeta em planeta, pousando onde bem entendermos? Dawn é o primeiro passo para que isso seja possível. Com a tecnologia convencional de propulsão, isso é simplesmente impossível. A quantidade de combustível necessária seria tão grande, que a nave provavelmente nem conseguiria sair do chão.

Quer saber mais? Veja a página da NASA dedicada a Dawn, clicando aqui.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s