Visão Alienígena

Semana passada aconteceu o lançamento do livro Visão Alienígena – Ensaios sobre Ficção Científica Brasileira (Editora Devir), escrito pela brasilianista M. Elizabeth (Libby) Ginway.

Eu já tinha ouvido falar bastante da Libby, mas ainda não a conhecia pessoalmente. Ela foi extremamente simpática e mostrou um conhecimento enorme sobre a FC brasileira. Devo dizer também que o português dela é muito bom. Fiquei até feliz porque ela disse que já entrou aqui no blog…:)

Libby é professora na Universidade da Flórida, onde dá aulas de português e literatura brasileira. Ela tem doutorado pela Universidade Vanderbilt e já publicou vários trabalhos acadêmicos a respeito da FC brasileira. Seu primeiro livro, Ficção Científica Brasileira: Mitos Culturais e Nacionalidade no País do Futuro, recebeu recomendações das revistas Locus e Choice, e foi publicado no Brasil pela Devir em 2005. Ela foi recentemente entrevistada pelo escritor Tibor Moricz em seu blog de entrevistas em inglês, o From Bar To Bar.

O lançamento aconteceu na Livraria da Vila, em São Paulo, e contou com um bate-papo comandado pelo escritor Roberto de Sousa Causo, acompanhado por Marcello Simão Branco (co-editor do Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica). O bate-papo serviu especialmente para que os presentes tomassem mais conhecimento do trabalho da autora, das motivações que a levaram a estudar FC brasileira (não com olhos de fã, mas como acadêmica), e de seus projetos futuros.

Em Visão Alienígena, Libby nos mostra 14 ensaios a respeito da FC brasileira. O trabalho é dividido em 5 capítulos, nos quais ela discute a maneira como os brasileiros escrevem FC.

Ela discute os ícones utilizados pelos nossos autores, tais como naves espaciais, ciborgues, robôs. Discute também os gêneros e subgêneros da FC que são mais comuns no Brasil: fantasia, história alternativa, utopias e FC hard.

Um dos capítulos é dedicado ao trabalho das mulheres na FC brasileira, com destaque para Dinah Silveira de Queiroz, Finisia Fideli, Marcia Kupstas, Martha Argel e Helena Gomes, entre outras.

Por fim, o último capítulo fala sobre como a ditadura influenciou o desenvolvimento da FC no Brasil.

O livro é cheio de referências bibliográficas (são 15 páginas delas) e notas de rodapé. Durante todo o texto, a autora mostra que realmente conhece e pesquisa a fundo o tema. Isso também fica evidente na escolha de temas e na quantidade de autores citados.

Visão Alienígena é um trabalho muito bem escrito e organizado. É uma excelente referência, um olhar “de fora” (alienígena?), de uma pesquisadora dedicada a entender o que e por que os brasileiros escrevem o que escrevem.

Libby Ginway em noite de autógrafos na Livraria da Vila. (Foto por Roberto Causo)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s