NASA descobre estrela mais fria que o corpo humano

Li essa notícia diferente no site da NASA hoje.

Foi encontrada uma estrela do tipo Y, o tipo mais frio de “anã marrom”, cuja temperatura na superfície foi estimada em aproximadamente 25 graus Celsius. Essa temperatura é mais agradável do que muita cidade brasileira no verão!

Para quem não sabe como isso é possível, as anãs marrons são um tipo de estrela que, digamos, não deu certo. Por terem pouca massa, elas não conseguem fundir os átomos em seu interior, deixando de produzir as altas energias que mantém estrelas como o nosso Sol funcionando. Com o tempo, as anãs marrons começam a esfriar e perder energia. Acredita-se que a atmosfera dessas estrelas seja semelhante à dos planetas gasosos do nosso sistema solar. Júpiter e Saturno tem características muito similares às das anãs marrons. Tanto para essas estrelas, quanto para os gigantes gasosos, falta massa para a queima de combustível.

Com essa temperatura baixa e quase nenhum brilho, as estrelas tipo Y são praticamente impossíveis de serem vistas com um telescópio convencional, mesmo que estejam bem próximas de nós. Para vasculhar o céu em busca das anãs marrons, a NASA usa um satélite artificial construído para captar radiação infra-vermelha. O Wide-field Infrared Survey Explorer (WISE) já descobriu mais de 100 anãs marrons na nossa vizinhança (sendo 6 do tipo Y). Essa estrela com temperatura de 25 graus Celsius, que recebu o nome WISE 1828+2650, está a menos de 40 anos-luz de nós, sendo o sétimo sistema estelar mais próximo de nós.

A notícia completa pode ser lida, em inglês, diretamente no site da NASA, clicando aqui.

3 respostas para NASA descobre estrela mais fria que o corpo humano

  1. Olavo Ludwig disse:

    Bah…esta foi uma surpresa grande pra mim! Tô louco para ter um tempo maior para ler tuas postagens “astronômicas”, que eu tenho visto só os títulos.

    Mas me esclarece uma coisa, qual seria a diferença dessa tipo y para um planeta tipo Júpiter então? Seria por acaso que ela já fundiu hidrogênio e agora não mais, e planetas gasosos nunca fizeram isso? Tô sem tempo para ir ler tudo em inglês lá agora.🙂

    • Daniel Borba disse:

      Oi Olavo, pra ser sincero, acho que esta é uma área bem nebulosa. A grande maioria dos exoplanetas (planetas fora do Sistema Solar) tem massa tão grande quanto a de Júpiter, e às vezes até maior, chegando a 12 ou 13 vezes a massa de Jupiter. Algumas anãs marrons mais fracas também estão em torno dessa massa. Quer dizer, “massa” é um limite pouco confiável. A queima de hidrogênio também não serve como parêmetro, porque tanto as anãs marrons quanto os planetas gasosos tem alguma emissão, provavelmente devido a uma queima bem baixa. Um dos melhores parâmetros seria a “história” desses corpos. Os planetas nasceram em torno de estrelas durante o processo de formação de um sistema solar, ao passo em que as anãs marrons nasceram a partir de uma nuvem de gás interestelar. Outro fator que ajuda a diferenciá-los é o ambiente em que estão. Os planetas gasosos sempre estão orbitando alguma estrela. As anãs marrons são objetos solitários. Acho que este último é o critério menos ambíguo. Mas no fundo, são objetos muito semelhantes. Acho que até uns 30 anos atrás (se tanto), nem se falava em anãs marrons. Quer dizer, ainda há muito o que se descobrir…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s