As Lições do Matador

Recebi recentemente o texto de divulgação de uma série de Space Opera que a Editora Devir está preparando: As Lições do Matador, de Roberto de Sousa Causo.

O projeto é ambicioso e parece ser bem interessante. Causo é um escritor que usa de maneira muito competente elementos militares em seus trabalhos. A novela O Par (Humanitas, 2008) e seu romance Selva Brasil (Draco, 2010) são bons exemplos.

Aí vai o release:

A editora paulistana Devir Livraria investe em uma série de aventuras de space opera protagonizadas pelo herói espacial brasileiro, Jonas Peregrino, criado por Roberto de Sousa Causo: a série “As Lições do Matador”.

As novelas e romances que vão compor a série de livros aparecerão no selo Pulsar da Devir, hoje com uma dúzia de títulos, e que já trouxe aos leitores do Brasil obras significativas como os multipremiados romances de Orson Scott Card, O Jogo do Exterminador e Orador dos Mortos, além de Tempo Fechado, de Bruce Sterling, e da Trilogia Padrões de Contato e Angela Entre Dois Mundos, ambos de Jorge Luiz Calife.

O primeiro título da série “As Lições do Matador” será Glória Sombria: A Primeira Missão do Matador. Cheio de ação, intriga e humor, Glória Sombria combina ficção científica hard e space opera militar, em uma aventura de tirar o fôlego, na qual Peregrino se defronta pela primeira vez com os enxames de naves-robôs dos “tadais”, alienígenas implacáveis que nunca mostraram a sua verdadeira face e que não dão descanso a nenhuma espécie inteligente na rica região da galáxia conhecida como “A Esfera”.

O Tenente Jonas Peregrino era só mais um oficial júnior da Patrulha Colonial, no distante futuro do século 25. Sua carreira parecia condenada à mediocridade, até que suas capacidades para o planejamento de operações especiais chamam a atenção do Almirante Túlio Ferreira, o comandante máximo da Esquadra Latinoamericana na Esfera, a maior área em conflito que a humanidade encontrou em seu avanço pelos braços espirais da Via Láctea.

Transferido para a Esfera, onde os humanos e membros de diversas raças alienígenas são fustigados por naves-robôs, Peregrino enfrentará não apenas os seus próprios limites, mas as divisões internas dentro das Forças Armadas Integradas, marcadas pela indolência, carreirismo e intriga política.

É assim que se inicia o mais novo épico da ficção científica brasileira.

As aventuras de Jonas Peregrino, porém, já estão em andamento há algum tempo. A história “Descida no Maelström” (uma homenagem a Edgar Allan Poe) apareceu na antologia Futuro Presente (2009), organizada por Nelson de Oliveira; e “Trunfo de Campanha” foi incluída na antologia Assembleia Estelar (2010), organizada por Marcello Simão Branco para o selo Pulsar a Devir. Mais noveletas com o herói deverão aparecer em antologias no futuro próximo, mas Glória Sombria é a primeira aventura de Peregrino, cronologicamente falando.

Os livros d’As Lições do Matador no selo Pulsar contarão com uma imagem de Jonas Peregrino em traje de combate, produzida pelo renomado ilustrador de ficção científica Vagner Vargas, aparecendo em todas as quartas-capas, como uma espécie de distintivo da série. Vargas também vai assinar a capa de Glória Sombria.

O premiado escritor Nelson de Oliveira fez este elogio antecipado ao livro:

Glória Sombria é o ótimo início de uma saga épica protagonizada por Jonas Peregrino, herói de perfil clássico (vale dizer: honrado e incorruptível), seguindo seu destino numa esfera de civilizações em expansão. O conflito com os tadais é intenso, mas não é o único. Outros, de natureza moral, cercam o matador-peregrino, pondo à prova sua inteligência e integridade. Enfim, um herói para tempos sombrios, com o qual os leitores gostarão de se identificar.” — Nelson de Oliveira.

  Veja algumas reações positivas às primeiras aventuras de Jonas Peregrino:

 “Um dos contos de Futuro Presente, o ‘Descida no Maelström’, de Roberto de Sousa Causo, com sua linguagem ora inovadora e difícil, proporciona ao leitor entrar em outra realidade, tão bem criada e tão detalhada, que os euro-russos, os robôs-tadai, os quadrúpedes esbeltos do Povo de Riv, os quase humanóides folsoranos, os encarapaçados mukbukmabaksai, e Peregrino, o protagonista, passam a ser personagens criadas pelo leitor, que acompanha vidrado as cenas de ação e aventura da história. Phlegethon passa a ser o seu quarto, caso o leitor aí esteja.”

—Sinvando Jr. “Realidades Alternativas”, no Rascunho: O Jornal de Literatura do Brasil versão online, 6 de março de 2010.

“Na melhor história do livro, [‘Descida no Maelström’,] Causo narra uma vibrante aventura hard envolvendo uma batalha espacial, numa óbvia homenagem ao texto clássico de Edgar Allan Poe. Astronautas de uma Terra que conquistou o espaço mas continua politicamente dividida, realizam missão de reconhecimento e combate a uma base dos tadais, uma agressiva e mais avançada tecnologicamente civilização extraterrena. A sequência final de salvamento do protagonista por seres alados de um planeta gasoso é puro sense of wonder.”

—Marcello Simão Branco. Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica 2009: Ficção Científica, Fantasia e Horror no Brasil, 24 de setembro de 2010.

“‘Descida no Maelström’, do escritor paulista Roberto Causo, é … um bom conto — entre os melhores do autor e também desta coletânea. Insere-se bem em uma das mais antigas tradições da ficção científica, a da guerra interestelar, mas sem se aprisionar em clichês previsíveis — e sem imitar demais o mestre Edgar Allan Poe, cujo conto homônimo lhe serve de referência. O autor dá ao velho tema um toque brasileiro e humanista e trabalha com especulações sobre física, biologia e tecnologia de maneira coerente e interessante.”

—Antonio Luiz M. C. Costa. CartaCapital Online, 11 de setembro de 2009.

“‘Descida no Maelström’, de Roberto Causo, é um bom conto de FC hard, escrito à maneira clássica, sobre um velho soldado que talvez não tenha lugar num mundo de paz, ou num mundo onde a guerra toma outras direções.”

—Álvaro Domingues. Blog Homem Nerd, 17 de dezembro de 2009.

“Roberto de Sousa Causo apresenta o conto ‘Trunfo de Campanha’. Causo é um dos nomes mais importantes do cenário da FC nacional, e costuma utilizar muito bem o ambiente militar para compor suas histórias, e aqui não é diferente. O conto faz parte de uma série de aventuras com o personagem Jonas Peregrino, numa galáxia cada vez mais povoada e colonizada por humanos. A história não traz qualquer ação militar propriamente dita, mas o envolvimento de militares nas tentativas de políticos em dominarem o ambiente, após o aparente e inexplicável término de uma guerra contra uma raça alienígena. A história trabalha muito bem com a forma pela qual os políticos utilizam figuras públicas, famosas, para atingir seus objetivos.”

—Gilberto Schoereder. No portal Vimana: Portal de Fantasia e Ficção Científica, 11 de maio de 2011.

“‘Trunfo de Campanha”, de Roberto de Sousa Causo, traz de volta o personagem Jonas Peregrino … em meio a uma intriga palaciana pelo controle de parte da galáxia.”

—Dorva Rezende. Plural – Notícias do Dia, 27 e 29 de agosto de 2011.

Mais informações sobre Glória Sombria e As Lições do Matador, a/c Maria Luzia:

marialuzia.devir@gmail.com

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s