O Castelo das Águias

Mês passado, eu li O Castelo das Águias, romance de fantasia escrito por Ana Lúcia Merege e publicado pela Editora Draco em 2011.

Eu já conhecia o trabalho da Ana através de algumas coletâneas, especialmente o conto A Encruzilhada, no primeiro volume da série Imaginários da Editora Draco. Em todas as oportunidades, não me decepcionei com seu contos, portanto, tinha altas expectativas em relação a este romance.

Trata-se de uma fantasia numa terra habitada por homens e elfos em convivência pacífica, apesar de algumas diferenças e intrigas entre as raças. O tal Castelo das Águias é uma escola de magia, que, me parece, foi inspirada no Castelo de Hogwarts, de Harry Potter. A importância da escola se dá pelas águias que habitam naquela região. Bebendo de uma fonte mágica próxima ao castelo, as águias ganham novas capacidades, tornando-se guerreiras, que podem ajudar as terras do Sul a manterem suas fronteiras seguras.

O Castelo das Águias é centrado na história da jovem Anna de Byrke, uma mestra de sagas que chega à escola para ensinar às crianças do Primeiro Círculo, que estão dando seus primeiros passos no caminho da magia. Como mestra de sagas, ela é encarregada de passar seus conhecimentos sobre as lendas antigas, as histórias que são passadas de geração para geração e mostram a grandeza dos antepassados, o que é fundamental para as crianças aprenderem a controlar seus poderes. Gostei demais dessa ideia. Uma analogia perfeit, tentando dar ênfase à importância da História na construção de um futuro melhor.

Anna é uma jovem simples, vinda de uma pequena comunidade isolada do resto do país. Quando chegar ao castelo, ela se depara com uma crise política envolvendo as principais cidades do país, que brigam pelo controle das águias, o que a faz descobrir que o mundo não é tão “bonitinho” quanto ela imaginava. Também logo de cara, ela se envolve com Kieran, um mago poderoso e cheio de mistérios, que talvez seja o personagem mais interessante do livro. Kieran já havia aparecido ainda criança no conto A Encruzilhada, que mencionei acima.

O livro começa um pouco devagar, mas pega ritmo da metade em diante, e gostei do que li. Portanto, meu conselho nesse caso é: não desista da leitura!

Eu realmente demorei a “engrenar”. Não sei se foi o excesso de nomes e pessoas sendo apresentadas constantemente, enquanto Anna ia sendo introduzida nesse mundo confuso de intrigas. A impressão que eu tinha era que, a cada capítulo, vinha uma avalanche de personagens novos e apresentações. Sinceramente não sei como a pobre Anna conseguiu conhecer todo mundo. Eu demorei a perceber quem era quem, e qual a relevância de cada um na trama. Outro problema é a própria Anna. Ela é uma persoangem difícil de descrever. Ela é insegura e medrosa no começo do livro, mas vai se firmando aos poucos. Uma evolução natural, mas que eu acho que aconteceu muito rápido. se o livro não ficasse tão bom da metade em diante, acho que Anna seria uma personagem ruim. Mas ela cresce junto com a trama e suas ações no final do livro mudam todo o destino do mundo.

O livro deslancha a partir da metade. E deslancha bem. Passada a apresentação dos personagens e dos problemas políticos, a coisa fica legal. A autora consegue imprimir um ritmo agradável na leitura. Kieran passa a desempenhar um papel mais importante na trama e o leitor passa a se interessar por desvendar seu passado misterioso. (Dica: leia A Encruzilhada).

Todos os eventos do livro convergem para um final muito bom, com interessantes reviravoltas e uma batalha mágica que envolve não só armas físicas e magia, mas também controle mental.

Ah, e tem as águias! As águias são criaturas fascinantes. Em seu estado “guerreiro”, elas são assustadoras e crueis, verdadeiras armas de guerra. A defesa perfeita, e também motivo de discórdia entre os povos.

Apesar de dirigido a um público mais jovem, acho que O Castelo das Águias deve agradar a leitores de todas as idades. A autora construiu com habilidade o seu mundo fantástico. Dentro dele, inúmeras posibilidades podem surgir. Há diferentes povos, diferentes tradições. Espero que mais histórias venham a surgir dentro deste mundo místico.

Gostei e recomendo a leitura…;)

2 respostas para O Castelo das Águias

  1. Obrigada pela leitura atenta! Estou anotando todas as críticas construtivas, como a sua, para melhorar cada vez mais.

    O livro 2 sai ano que vem e será narrado pelo Kieran. Bem diferente desse a escrita será.🙂

    Quanto à Escola de Artes Mágicas, sua inspiração vem mais da Escola de Roke, de Terramar (Ursula le Guin) do que de Hogwarts. Mas pode haver pontos de contato, sem dúvida.

    • Daniel Borba disse:

      Oi Ana, acho que Hogwarts foi a referência mais clara pra mim, por causa dos professores designados especificamente pra cada um dos círculos. Não estou familiarizado com a fantasia da Ursula le Guin, só li os romances mais FC dela. A história narrada pelo Kieran deve ficar bacana. Já tinha gostado dele no conto A Encruzilhada. Parabéns pelo ótimo universo que criou!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s