Constelações: Scorpius

Depois de muito, mas muito tempo mesmo, acho que é passada a hora de voltar a escrever sobre astronomia, ou melhor, de retomar aquele meu projeto sobre as constelações.

Bem, hoje vou aproveitar o finalzinho de inverno para falar sobre uma constelação bem conhecida e, sem dúvida, uma das mais fáceis de ser observada, típica das noites mais frias do ano no Hemisfério Sul: Scorpius, o Escorpião.

Sem dúvida, esta é uma das constelações mais belas no céu, e o brilho de suas estrelas insiste em ignorar as fortes luzes da cidade grande. Mas antes de localizarmos Scorpius, vamos buscar três pontinhos bem brilhantes no céu, alguns já conhecidos nossos de outros posts.

A primeira coisa que devemos fazer, é localizar a direção onde o Sol vai se por. Se você acompanhou os outros posts da série, já deve saber que, mesmo que não seja com uma precisão matemática, a direção em que o Sol se põe nos indica a região do céu que eu vou chamar de “pros lados do Oeste”.

Muito bem… olhando pros lados do Oeste (:D) lá pelas 19:00, três objetos celestes vão estar bem destacados no céu a uma altura não muito alta, já próximos do horizonte. São eles: Spica (que você pode conhecer melhor aqui), e os planetas Saturno e Marte. A imagem que vai aparecer no céu é mais ou menos a seguinte:

Vejam na imagem acima que temos os três astros bem destacados (Spica, Marte e Saturno) e ainda a estrela Arcturus (que comentei aqui). Coloquei ainda uma indicação para a constelação Corvus, note como as duas estrelas da base daquele quadrilátero indicam exatamente a posição de Spica, como mencionei nesse post do ano passado.

Bom, mas vamos manter o foco e lembrar que este post é sobre Scorpius. Para facilitar as coisas, vou diminuir o zoom da imagem acima, de modo que seja possível ver uma porção maior do céu. Logo acima de Marte,  mais para o alto do céu, será possível ver um conjunto muito bonito de estrelas. Vejam a imagem abaixo:

O grande destaque de Scorpius é, na minha opinião, Antares, aquele ponto vermelho no alto da imagem. Essa estrela é uma supergigante vermelha, localizada a cerca de 550 anos-luz de distância do Sistema Solar, emitindo 60 mil vezes mais radiação do que nosso Sol (sendo 10 mil vezes mais brilhante no visível). Apesar disso, estando já num estado avançado da evolução estelar, Antares é uma estrela fria, tendo uma temperatura superficial de 3600 K (o Sol tem 5800 K). Estima-se que seu raio seja de aproximadamente 3 a 3,4 vezes a distância Terra-Sol. Isto significa que, se  Antares estivesse no lugar do Sol, ocuparia o mesmo espaço ocupado pelas órbitas de Mercúrio, Vênus, Terra,  Marte e boa parte do cinturão de asteroides. Eu disse SUPERGIGANTE no começo do parágrafo, né?

Observando a olho nu, Antares é extremamente parecida com o planeta Marte. Na mitologia grega, o deus Marte é conhecido como Ares (não confundir com a constelação Áries!). O nome da estrela Antares é, então, derivado de “anti-Ares”, ou “o rival de Ares”, ou ainda “o rival de Marte”. Fica como lição de casa vocês observarem os dois astros (já que estão bem próximos) e conferirem a semelhança.
A constelação Scorpius é uma das poucas que realmente parece aquilo que seu nome diz. Sua localização no céu é muito privilegiada, já que está localizada sobre a Via Láctea, a faixa esbranquiçada que desapareceu do céu das cidades mas ainda é bem visível em regiões livres de poluição luminosa. Uma atividade interessante é apontar um binóculo para essa região do céu e notar a quantidade de estrelas que aparece. Isso é fácil de notar mesmo na cidade grande.

Abaixo, há algumas imagens de Scorpius. Note as três estrelas que ficam abaixo na imagem, formando a cabeça do escorpião. Logo acima, Antares aparece representando seu coração e ainda mais acima vemos a cauda curva terminando com duas estrelas que representam o ferrão.

Depois da simulação, vamos a uma imagem real. Conseguem reconhecer a forma do escorpião? Para facilitar a vida de vocês, Antares está marcada com uma setinha vermelha.

 

Bom, acho que por hoje é só. Aprendemos como achar o escorpião no céu. De quebra, ainda conseguimos achar Marte, Saturno, e reencontrar Spica, Arcturus e a constelação Corvus.

Estão esperando o que? Já pro céu procurar Scorpius!!!

(Nota: Simulações feitas com o auxílio do software StarCalc. A foto real de Scorpius foi obtida online em http://stars.astro.illinois.edu.)

7 respostas para Constelações: Scorpius

  1. Olá Daniel, gostaria de fazer uma pequena observação com relação a Constelação Scorpius; ela ñ tem presença no céu no ”sentido” leste, fazendo oposição a
    Constelação Orion que é ”sentido” oeste?. No texto vc diz ‘Muito bem… olhando pros lados do Oeste’…
    É isso entaum cara, mas caso eu esteja errado, peço desculpas. Valeu!

    • Daniel Borba disse:

      Excelente pergunta, Fernando. Na verdade, assim como o Sol, todas as estrelas que vemos no céu percorrem um caminho “nascendo” na região do leste e “se pondo” na região do oeste. Esse movimento, como você deve saber, é aparente, sendo causado pela rotação da Terra. Isto é, do mesmo modo que o Sol está lá “parado” em relação à Terra e ela gira, causando a sensação de dia e noite, a esfera celeste também está “parada” em relação à Terra, e conforme a Terra gira, nós vamos vendo o fundo de estrelas passar por nós. (a expressão “esfera celeste parada” nesse caso é apenas para facilitar a visualização, já que sabemos que o universo todo está em movimento.)

      Bem, sendo assim, todas as constelações se movem no céu durante a noite. Se você olhar no começo da noite hoje (às 18:30 de 3/jun/2013), vai ver que Scorpius está no leste, ainda aparecendo parcialmente, as estrelas da cauda do escorpião ainda esperando para “nascerem”.

      Se voltar a olhar lá pelas 9 da noite, vai ver que ela já está completa, ocupando uma boa porção no alto do céu. Se voltar a olhar lá pelas 3:30 ou 4:00 da manhã, vai notar que o escorpião está “mergulhando” de cabeça em direção ao horizonte oeste.

      Tudo isso, graças à rotação da Terra.

      Agora, devido à translação da Terra, conforme a Terra percorre sua trajetória em torno do Sol, o “fundo” para o qual a nossa noite está apontando, vai se alterando pouco a pouco. Por isso, conforme o ano avança, as constelações vão nascendo cada vez mais cedo. O post acima sobre Scorpius foi escrito em setembro. Comparando com o nosso atual mês, e levando em conta o que mencionei acima, o escorpião deve nascer mais cedo, portanto por-se mais cedo também.

      É de fato isso que acontece, o escorpião tendo nascido mais cedo, já está bem alto no céu quando escurece (ao contrário de hoje, quando está ainda pela metade, “nascendo”). Portanto, ele vai se por mais cedo, dirigindo-se ao oeste bem mais cedo.

      Sobre o outro ponto que você mencionou, Orion e Scorpius estão realmente em pontos opostos no céu. Tanto que a lenda grega dizia que Orion estava perseguindo Scorpius no céu para se vingar de uma picada no calcanhar. Se pudéssemos olhar o Sistema Solar de fora veríamos que as duas constelações estão em lados opostos em relação ao Sol, causando esse efeito para nós.

      Ou seja, hoje, enquanto Scorpius está nascendo no começo da noite, Orion estará se pondo. O post que estamos comentando indica para observarmos o céu no começo da noite em setembro de 2012. Nessa época, no começo da noite, enquanto o escorpião estava no alto do céu, mais deslocado para o oeste, Orion estava bem abaixo do horizonte, já perto de nascer a leste.

      Bom, espero ter ajudado a esclarecer as dúvidas. Qualquer coisa, não hesite em entrar em contato.

      Abraço!

  2. Valeu Daniel pela explicação… como vc disse na resposta:”Tudo isso, graças à rotação da Terra.”
    Tinha esquecido desse detalhe.

  3. Jordiane Foscarini Andreazza disse:

    Olá, sei que é uma pergunta inocente, mas não sei muito sobre essa área e queria saber quantas estrelas ao certo tem a constelação de Scorpius e qual seu significado?
    Aguardo a resposta

    • Daniel Borba disse:

      Jordiane, a resposta para essa pergunta é meio complicada. Se considerarmos que a vista humana enxerga até mais ou menos a magnitude 5.5 ou 6.0, temos pouco mais de 60 estrelas visíveis nessa constelação. As que eu mostro neste post são apenas as mais brilhantes (são visíveis inclusive nas grandes cidades). Agora, como a constelação demarca apenas uma região do céu (mas não a sua profundidade), o número de estrelas pode ser altíssimo. Veja este outro post para compreender melhor o que chamamos de constelação: https://alemdasestrelas.wordpress.com/2011/06/22/constelacoes-introducao/

    • Daniel Borba disse:

      Em relação ao significado da constelação, bem, o que posso dizer é que ela simboliza um escorpião que picou o grande caçador Orion, de acordo com a mitologia grega.

  4. Jordiane Foscarini Andreazza disse:

    obrigada pela resposta!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s