STEREO e o Cometa PanStarrs

Em 2006, a NASA lançou duas sondas gêmeas para observação do Sol, a fim de estudar com mais precisão as tempestades solares e os mecanismos responsáveis pelo vento solar. O conjunto recebeu o nome STEREO (Solar TErrestrial RElations Observatory).

As sondas foram colocadas em posições estratégicas na órbita da Terra: uma à frente, outra atrás da trajetória do planeta. Dessa forma, as observações solares seriam compostas por dois conjuntos de dados obtidos simultaneamente, mas em posições diferentes. Em se tratando de ejeção de matéria vinda de uma fonte tão extensa como o Sol, é importante ter esse tipo de comparação para que se possa mapear de maneira mais completa os fenômenos. É mais ou menos como nosso cérebro usa as imagens obtidas pelos dois olhos para compor uma visão tridimensional e com noção de profundidade dos objetos ao nosso redor.

A título de curiosidade, a imagem abaixo mostra as posições relativas da Terra, do Sol e das duas sondas no dia de hoje (01/04/2013). A distância entre a Terra e as sondas não é fixa, mas sempre obedece à órbita.

Nessa imagem, vista "de cima" a órbita da Terra segue uma trajetória anti-horária, o ponto vermelho é a sonda que está à frente (ahead) e o ponto azul é o que está atrás (behind) da órbita da Terra.

Nessa imagem, vista “de cima” a órbita da Terra segue uma trajetória anti-horária, o ponto vermelho é a sonda que está à frente (ahead) e o ponto azul é o que está atrás (behind) da órbita da Terra.

Mas o verdadeiro motivo deste post foi o vídeo abaixo, divulgado em março.

A sonda que está atrás da órbita (B, na figura acima), registrou essa imagem do cometa PanStarrs, que está se afastando do Sol, ao mesmo tempo em que uma ejeção gigantesca de massa coronal acontece. O registro foi feito durante cinco dias (de 10 a 15 de março). O Sol não aparece na imagem, mas está à esquerda do vídeo. O clarão que aparece vindo da esquerda é a ejeção vinda do Sol. O cometa aparece em sua trajetória elíptica fugindo do Sol em direção aos confins do Sistema Solar, e a Terra aparece em sua órbita. Lembro mais uma vez que o vídeo foi obtido por uma sonda que está atrás da órbita da Terra, mas seguindo a mesma trajtória, “seguindo” a Terra.

É interessante notar que, como a cauda do cometa não teve sua direção alterada, ele não está alinhado com a ejeção. Mais interessante ainda é observar a quantidade de matéria que o Sol libera a cada ejeção ou tempestade solar.

2 respostas para STEREO e o Cometa PanStarrs

  1. Tereza Satiko disse:

    Legal, texto muito informativo e sucinto. Gostaria somente de fazer uma observação: magnitude é escalar, a missão STEREO fornece informação geométrica de regiões ativas e ejeções de massa coronal. Abraço.

    • Daniel Borba disse:

      Tereza, obrigado pela visita. Realmente, a palavra “magnitude” neste caso foi um péssima escolha minha. A intenção não era usar o termo astronômico, mas sim no sentido de “qualidade” ou “importância”. Corrigi o texto para que ficasse mais clara a minha intenção. Obrigado pela observação.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s