Portal Fahrenheit

O Projeto Portal teve seu último volume lançado em fevereiro deste ano.

Este projeto, organizado pelo escritor Nelson de Oliveira, apresentou seis revistas lançadas com um intervalo aproximado de seis meses ao longo dos últimos três anos. Cada revista, publicada em sistema de cooperativa, homenageava em seu título uma obra marcante da FC. Tivemos o Solaris, o Neuromancer, o Stalker, o Fundação, o 2001 e finalmente o Portal Fahrenheit.

Esta última edição é composta por vinte e quatro contos, que misturam ficção científica e fantasia.

Confesso que achei o Portal 2001, anterior a este, melhor. Claro que pode ser uma percepção só minha, mas os contos presentes naquela edição me agradaram bem mais.

Como há diversos autores experientes neste Portal Fahrenheit, mesmo que eu não tenha gostado de tudo, ainda há muita coisa interessante neste.

Na minha opinião, os trabalhos mais interessantes foram:

  • O Bunker Cretáceo, de Ataíde Tartari, que mostra uma descoberta sobre os dinossauros feita por grupo de cientistas brasileiros na Antártida. Uma história de FC sem grandes pretensões, mas incrivelmente agradável de ser lida.
  • Invasores, de Mayrant Gallo. Ao ler esse conto,  tive a sensação de estar vivendo um pós-Guerra dos Mundos. Um homem sai em busca de parentes que foram sequestrados por extra-terrestres após a Terra ter sido invadida. Ao mesmo tempo, ele sabe que também não pode confiar nos humanos que sobreviveram.
  • Tempestade Solar, de Roberto de Sousa Causo. Apesar dessa história não ser brilhante, ela fecha um ciclo, concluindo as aventuras de Shiroma, uma assassina ciborgue. O clima de New Space Opera e as intrigas entre os que estão próximos a Shiroma são empolgantes.
  • Minhas Férias, de Ricardo Delfin, é uma redação de final de férias passadas num mundo recheado de passeios sci-fi. Viagens no tempo, viagens à Lua, clones… Muito criativo esse conto.
  • Os Olhos do Gato, de Luiz Bras. Conto muito interessante sobre “ver o mundo por outros olhos”. É passado num mundo no qual homens e mulheres estão em guerra entre si. Por trás do clima bélico e místico, enxerguei um alerta sobre intolerância. Bras sabe muito bem como conduzir uma história, e usa as palavras com habilidade.
  • A Senhora do Lago, de Georgette Silen, traz a FC ao mundo do Rei Arthur. Uma história de fantasia recheada de elementos tecnológicos.
  • O Banho de Diana, de Bruno Cobbi, é, talvez, o melhor conto da antologia. Uma moça grávida no metrô começa a ter um sonho vívido e real no qual é colocada em meio a uma batalha. Muito bacana.

Bom, essa é apenas uma amostra do que esse Portal Fahrenheit nos apresenta. São os contos que mais me chamaram a atenção.

 Não vou fazer um resumo de todos os contos, porque eu li recentemente uma resenha muito bem feita pelo Alvaro Domingues, do Blog do Pai Nerd, que pode ser lida aqui. Acho que essa resenha já dá conta do recado.

Uma resposta para Portal Fahrenheit

  1. Bruno Cobbi disse:

    Olá Daniel,

    Obrigado pela leitura atenta e pela resenha. O projeto é uma iniciativa independente dos autores que depende desse tipo de apoio dos leitores e divulgadores interessados para atingir seu principal objetivo: divulgar a literatura fantástica brasileira contemporânea.

    Minha felicidade nem cabe dentro de mim diante do seu elogio! Convido você a dar um pulo lá no meu blog e, caso seja de São Paulo, a uma visita aos Escritores de Quinta no Sesc Pinheiros!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s